sábado, 7 de março de 2009

"Um passo à frente e você não está mais no mesmo lugar"

Conheci a história da Ana há um mês, enquanto dividíamos a mesma mesa do café, à tardinha, naquela hora em que a fome se confunde com o desejo de pausa. Ana é gerente da franquia de calçados e acessórios em couro Luz da Lua, que fica em frente à minha loja. Ela também gerencia a Evidencia Acessórios, no Balneário Camboriú Shopping, da mesma rede de lojas. Ana tem 57 anos e foi chamada para gerir estas duas lojas no ano passado, quando estava com 56. Ana não era inexperiente, ao contrário, sempre trabalhou no comércio. Nos últimos 14 anos administrou uma das mais conceitudas rede de lojas voltada ao público infantil. Era o braço direito da proprietária. Ana acreditava que trabalharia na empresa até o fim de sua vida. Mas a inquietação surgiu... No começo Ana julgou que era sinal da idade. Mas, em um curso de aperfeiçoamento, no CDL, vendo toda a empolgação dos jovens colegas, procurou o professor e, em particular, confessou sua insatisfação: ansiava por um novo desafio; precisava se reinventar. Daquela conversa com o professor até iniciar no novo emprego foram 3 meses de ebulição interna. Mas Ana enfrentou. Atreveu-se. E mudou. Assim como as mulheres deste comercial peruano:

  • Saga Falabella é uma das mais importantes cadeias de lojas de departamentos da América do Sul, presente no Peru, Chile, Argentina e Colômbia.
  • Para a trilha sonora do comercial, músicos peruanos interpretaram um trecho de "Verão", das "Quatro Estações" de Vivaldi. O curioso é que na primeira parte do vídeo, as notas foram tocadas de trás para frente, para reforçar o desconforto que o medo causa. A música volta à sua versão original no segundo trecho do comercial, quando acontece a "mudança" (câmbio).
  • Um brinde às empresas que investem em comerciais institucionais deste teor. Bons anúncios não só os que vendem produtos, mas que criam conceitos e encantam o cliente. "Sucesso e vida longa!"
  • A Ana não é uma personagem fictícia. Existe. E é tão confiante que se deixou fotografar sem saber o que exatamente eu pretendia com a foto. Afinal, medo para quê?

  • Este post é uma homenagem às mulheres que vão além de suas limitações e escrevem seu próprio destino.
  • Este post é dedicado à minha mãe, a mulher mais poderosa e a mãe mais generosa do meu mundo.

* o título do post é a frase que inicia a canção "Um passeio livre", de Chico Science.

0 comentários:

Postar um comentário