segunda-feira, 12 de outubro de 2009

O vendedor de paçoca

"Largo do Machado, Rio de Janeiro, faz muito pouco tempo.

Um rapaz está andando com a namorada quando é interrompido por um vendedor oferecendo paçoca.

- Não, cara. Valeu.

- Esse foi o NÃO mais simpático que ouvi. Deixa eu te oferecer uma paçoca por minha conta.

- Não precisa.

- Agora você vai ter que aceitar, senão retiro o que disse, você terá sido grosso e de nada valeu sua simpatia.

- Ok, aceito. Toma aí 2 reais.

- Não quero. E quer saber? Sua namorada é simpática, tó aqui duas pra ela, de graça.

- Cara, você ta me deixando em uma situação complicada. Aceita esses 5 reais.

- De forma alguma. Se quiser te dou um abraço e só.

O rapaz não tem tempo de se esquivar. Abraço recebido:

- Seguinte, tu quer me ajudar mermo? Se quiser, na moral, eu aceito que você compre uma caixa de polenguinho pra mim vendê. Dá pra tirar mais com polenguinho do que com essas paçocas. Tá vendo essa loja aqui na frente? Compra uma caixa e me traz, assim tu vai me ajudar com meu novo empreendimento, os polenguinho.

- Quanto é a caixa?

- É 20 real.

Então toma aqui 20 prata, velho. Você merece."

  • Moral da história: o rapaz comprou 3 paçocas por R$ 20,00.
  • No Rio você pode comprar 10 por R$ 1,00. Ou seja, cada paçoca custa R$ 0,10.
  • Qual foi a margem dele? pfff..melhor nem fazer as contas (que inveja!)
  • O que importa é: o moço não comprou paçocas, foi Venture Capital de um vendedor audacioso.
  • Quantos assim a gente vê por aí?

* esse post é todinho do Tie Lima. Eu roubei, eu sei. Podia estar trabalhando, criando, levando este blog nas unhas dos dedos... mas não, prefiro deixar o trabalho pesado para quem é mais competente.

0 comentários:

Postar um comentário